Newsletter

Autistas

Janaynna Póvoas (São Luís, MA)

Janaynna Mayara Teixeira Póvoas tem 25 anos e é terapeuta ocupacional infantil na Clínica Núcleo de Saúde, em São Luís (MA).
É formada em Método Tecch para crianças com autismo e especializada em saúde mental e atendimento psicossocial.

Confira o trabalho realizado na Clínica Núcleo de Saúde, com seus pacientes.
Janaynna Mayara Teixeira Póvoas tem 25 anos e é terapeuta ocupacional infantil na Clínica Núcleo de Saúde, em São Luís (MA). É formada em Método Tecch para crianças com autismo e especializada em saúde mental e atendimento psicossocial.

"Em todo atendimento, nos preocupamos em desenvolver o bem estar, a autonomia, a confiança e prazer da criança. Na intervenção da terapia ocupacional, preocupo-me muito em desenvolver as práticas manuais e perceptivas de mundo com cada criança que atendo. A escola é o meio social em que a criança mais necessita de ajuda para desenvolver sua independência e inteligência, seja ela cognitiva, emocional ou motora. Assim, reabilitar as crianças com o intuito de focar no dia a dia escolar é uma das minhas principais metas no plano terapêutico ocupacional. Uso o brincar como forma de reabilitação. Pois a brincadeira é prazerosa... É nesse momento, então, que conquisto por meio das atividades de brincar, habilidades essenciais para ajudar a criança a desenvolver suas capacidades escolares, sociais, cognitivas, sensitivas, todas na descontração. A criança percebe que aprende muito enquanto brinca."

"A ação [Educador que Faz a Diferença] encheu os meus olhos de alegria, pois moro no Maranhão,e fica um pouco difícil conseguir as massinhas com e sem texturas que me ajudam muito na intervenção. Participei e, como disse quando me inscrevi, não sou formada em Pedagogia, Letras ou em qualquer outra área da Educação. Mas reabilito crianças para o meio escolar e me sinto, sim, uma educadora. O meu papel vai além de consultórios, reabilito para construção de vida. Portanto, usar os produtos da CiS foi de grande valia, tanto pra mim quanto para as crianças que atendo."

"Começamos a atender as crianças no turno da manhã e à tarde. Em média, por cada turno, atendemos cerca de 10 crianças. Fortaleço membro superior com toque passivo e alongamento. Logo após, trabalho a sensibilidade com as crianças que demonstram resistência ao toque ou aversão à texturas."

"A maioria dos autistas apresentam sensibilidade ao toque, portanto, usei as massinhas com e sem texturas para estimular a sensibilidade, aumentar a tolerância à texturas que eles precisarão sentir no dia a dia. Como também é trabalhado na escola, ajudo as crianças a diminuir esse “medo” com diversas texturas."

"Ainda com a massinha, estimulo a criatividade, a imaginação. Peço para a criança fazer aquilo que ela gosta. Formamos animais, bonecos, bijuterias... O que a criança sente vontade de realizar. Neste dia, uma das crianças me presenteou com uma pulseira feita de massinha, linda! O produto final não importa. O importante é toda a construção, como é feito, como ela utilizou o membro, a mão, a coordenação para realizá-lo."

"Uso a massinha também em outras atividades. Uma delas chama-se “loto”. Com esta atividade trabalho a linguagem, percepção, reconhecimento visual e de comandos, além da atenção e concentração. De quebra, ainda estimulo a coordenação motora fina, quando a criança pega os pedacinhos da massinha."

"Faço o som do animal que quero que ela me mostre, ela procura, acha na ficha e marca com um pedaço de massinha."

"Nesta outra atividade trabalhei com os lápis de cor e hidrocor da CiS. Estas atividades a seguir são para coordenação motora fina e treino para segurar o lápis na escrita, o que vai ajudar na grafia da criança. Desenhos com tracejados, pinturas, linhas... Estas são algumas atividades que trabalham a coordenação motora fina."
"No desenvolvimento da coordenação motora fina, o processo da escrita inicial ocorre através dos traçados simples, como linhas verticais, horizontais e diagonais, para depois escrever as letras."

"Usei a tesoura especial para crianças da CiS para estimular a coordenação motora, ajudando a criança a cortar o papel. O manuseio da tesoura exige lateralidade definida (destro ou canhoto), tipo de tesoura adequado para dominância manual e tamanho da tesoura para criança, habilidades finas de dedos (indicador, polegar e dedo médio), força e destreza manual. Os movimentos de cortar em linha reta podem ser um grande desafio para as crianças com dificuldades nas habilidades motoras e percepção visual e espacial."

"Nesta atividade, elas cortam em cima do tracejado que desenhei. Assim, vão dando funções mais específicas aos seus membros o que ajuda na sua habilidade manual."

"Estas foram algumas das atividades que desenvolvi com o material que recebi. Os outros, como régua, furador e cola, me ajudaram a confeccionar as atividades, pois eu não possuía. Os produtos são maravilhosos, recomendo agora a todos os pais os materiais escolares desta marca, já que mostraram bons resultados com meus pacientes. Tudo que ganhei chegou em boa hora e me ajudou desde o momento da intervenção até a terapia em si, nas minhas sessões. Agradeço de coração aos idealizadores da ação!" Janaynna, parabéns pelo lindo trabalho que realiza com seus pacientes. Temos certeza que você é, sim, uma educadora que faz a diferença!

Comércio e importação de materiais escolares e de escritório.